[sendpulse-form id=”1121″]

A regra dos terços na composição fotográfica do dia-a-dia

[read_meter]

[Sassy_Social_Share]

Esta imagem mostra um passadiço com palmeiras e edifícios em fundo. O passadiço está ladeado por um corrimão e há uma pessoa sentada num banco no fim do mesmo. Em primeiro plano, há duas palmeiras altas lado a lado, uma das quais tem um candeeiro de rua ao lado. Atrás delas está um impressionante edifício branco com telhas vermelhas que tem muitas janelas ao longo da fachada. Por cima desta cena, há um extenso céu azul pontilhado de nuvens.
f34 V 120s I 500 | Laura Lanza

Como funciona?

A regra consiste em dividir o quadro da fotografia em três partes horizontais e três partes verticais, formando uma “grade” com nove retângulos iguais. As linhas que dividem as seções, assim como as interseções entre elas, são consideradas zonas de atração do olhar. Por isso, os pontos de intersecção são considerados pontos de interesse. Recomenda-se, onde é possível, posicionar o objeto principal da fotografia sobre elas. O objeto é posicionado na primeira ou terceira parte da imagem, deixando os outros dois terços mais abertos, em vez de centralizá-los, tornando a composição mais interessante e preenchida.  

Ainda que o uso da regra dos terços seja bastante ampla e versátil para a maioria das situações, nem sempre sua aplicação é necessária ou adequada, como no caso de fotografias científicas, que dependem de precisão e de detalhes.

Esta imagem capta uma cena exterior deslumbrante de um lago tranquilo rodeado por árvores e edifícios luxuriantes. O céu azul está salpicado de nuvens brancas, criando uma atmosfera idílica. Em primeiro plano, há um corpo de água que reflete a paisagem circundante e proporciona uma vista tranquila. No lado direito da imagem, há vários edifícios altos com janelas de vidro que se destacam contra o céu azul brilhante. Mais ao fundo, podem ver-se mais árvores e vegetação, bem como algumas docas que se estendem até ao lago. Esta imagem resume perfeitamente a beleza da natureza combinada com a arquitectura moderna para criar uma visão inesquecível para quem tiver a sorte de a testemunhar em primeira mão.]
f9 V 1200s I 100 | <strong>Laura Lanza<strong>

Nesse exemplo, a regra dos terços é utilizada para dar destaque à paisagem e ao horizonte, além de guiar o olhar para a fotografia. Isso porque a linha inferior, que “separa” a lagoa, é o primeiro plano, enquanto o céu ocupa os terços superiores, causando a sensação de profundidade. Os pontos de interesse centrais também auxiliam para a harmonia e proporção da composição, já que o reflexo na água complementa o terço inferior e gera uma simetria interessante. 

Esta imagem mostra uma estrada com árvores e arbustos de ambos os lados. A estrada está ladeada por relva verde luxuriante e há várias árvores espalhadas pela cena. Em primeiro plano, há uma poça de água que reflecte o céu. Mais ao fundo do caminho, uma criança corre com roupas brilhantes que se destacam contra o fundo cinzento. Há também um poste no fundo, que aumenta a profundidade da imagem. As cores dominantes nesta fotografia são o cinzento e o branco, enquanto se podem ver acentos de verde por todo o lado, bem como um tom castanho-terroso de algumas das folhagens. Esta paisagem exterior foi cuidadosamente ajardinada para criar uma atmosfera convidativa para todos os que a visitam - perfeita para dar passeios ou simplesmente apreciar a beleza da natureza!
f71 V 160s I 100 | <strong>Laura Lanza<strong>

Nesse segundo caso, as linhas causam a percepção de espaço. O passeio é o assunto principal da foto e está em evidência, por isso, a linha horizontal é posicionada no ponto de fuga, o horizonte, sendo responsável por seu prolongamento. Enquanto as linhas verticais, junto aos pontos de interesse e a disposição dos elementos, como as árvores, arbustos e as guias, causam a sensação de direção. Além disso, outro componente de destaque para a imagem, é a criança centralizada andando de bicicleta, que reforça a direção.

Esta imagem mostra uma estátua de um soldado no meio de uma paisagem urbana exterior. O soldado está de pé, alto e orgulhoso, segurando uma espingarda nas mãos. Está rodeado de árvores e plantas, com uma grande árvore directamente atrás dele a oferecer sombra do sol. No fundo, há edifícios que fazem parte do horizonte da cidade. Há também um carro a circular na estrada do seu lado esquerdo e algumas caixas de plantas com relva a crescer perto dos seus pés. Do seu lado direito, há outra pessoa a caminhar no passeio, vestindo calças de ganga azuis. O céu acima tem nuvens brancas espalhadas por todo o lado e parece que pode ser de manhã cedo ou ao fim da tarde, a julgar pela paleta de cores. No geral, esta imagem transmite uma sensação de força e coragem, bem como de tranquilidade devido ao seu ambiente natural, o que constitui uma combinação interessante quando se olha para esta cena como um todo.
f63 V 1250s I 100|<strong> Laura Lanza <strong>

A terceira foto é um caso semelhante à aplicação da regra dos terços em projetos arquitetônicos. Ela foi registrada de um ângulo baixo e com um pouco de zoom, trazendo a perspectiva de grandeza para a estátua, e, ao posicioná-la na linha vertical, isso é ainda mais enfatizado. O monumento  está deslocado para a esquerda. Os objetos localizados nos terços direitos aparentam ser menores do que são. Dessa forma, a técnica trouxe a sensação de alongamento e profundidade.

Regra dos terços para iniciantes

As câmeras digitais  e os smartphones, têm a opção de mostrar essas linhas imaginárias, tornando a técnica acessível para quem está começando.  Recomendamos utilizar esse recurso para praticar a regra dos terços, adquirir experiência e compreender como a fotografia funciona, já que para usá-la, basta posicionar o elemento principal da imagem em um dos quatro pontos de intersecção da grade de terços.

Contudo, para ter evoluções, é importante experimentar posicionar os elementos principais em variados pontos da gradação dos terços, a fim de encontrar a composição mais agradável e de maior identificação para o fotógrafo. São essas variações que permitirão conquistar resultados diferentes, criativos e captar melhores imagens. Para a fotografia, o mais importante é treinar o olhar e compreender a regra dos terços como uma orientação para dispor os elementos na foto, ao invés de considerá-la uma técnica rígida.

REFERÊNCIAS CONSULTADAS NA PRODUÇÃO DESTE CONTEÚDO 

COMO CITAR ESTE CONTEÚDO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pular para o conteúdo
×